relacionamento.jpg

Você não tem um problema sozinha na relação! A questão é sempre dos dois.

 

 

 

A mágoa é uma cicatriz mental que fica ali sempre te lembrando o que ainda dói. O tempo pode passar, mas você acaba não conseguindo ser resiliente o suficiente para “ superar” as dores deixadas por uma discussão e brigas que ficaram registrados.

 

Em primeiro lugar, devemos aprender a nos perdoar, normalmente jogamos uma grande responsabilidade por tudo que acontece de ruim em nossa vida no outro, mas esquecemos que apesar de escolhermos as pessoas que estão ao nosso lado, não podemos conduzi-las a se comportar da forma em que idealizamos.

 

Lembramos sempre que a vida é feita de relações humanas e que não é possível adivinhar o que o outro pensa, suas atitudes ou suas reações, muitas vezes só compreendemos tempos depois que tudo esfriou, o que foi que realmente aconteceu no momento da discussão.

 

Em outras vezes jogamos totalmente a responsabilidade no outro, por não estarmos felizes e por não conseguirmos superar esses traumas. Acredite, em muitos casos, o outro até sabe que te magoou, mas pode não saber a intensidade que isso te causou.

 

Isso acontece bastante em relacionamento amoroso, idealizamos a pessoa em como ela deveria ser, e claro, nunca será da forma como pensamos.

Quando os casais discutem, normalmente jogam a culpa no outro, se ausentam de sua participação na discussão, seja por se calar, não tentar resolver ou se alterar buscando ter razão, ao invés de escutar o parceiro e tentar resolver a questão.

Tudo que fica são mágoas, de palavras usadas, das reações, do sentimento de impotência pela busca que muitas vezes nem sabemos ao certo o que queremos dentro do próprio relacionamento.

 

O problema é que ficamos remoendo tudo e isso fica como uma cicatriz que não cura, e até pelo próprio medo de se doar novamente e tudo voltar a se desestruturar, isso nos desmotiva a se empenhar em dar certo, na privação em se doar e receber amor.

 

O que acontece dentro de um relacionamento é responsabilidade dos dois, independente de quem erra mais ou menos e isso deveria ser resolvido em cada discussão. Se de algum modo, você falou frases que machucaram seu parceiro, que jamais falaria em estado normal, isso te mostra o quanto a intensidade da raiva diante de uma discussão pode ser destrutiva, desestruturando tudo que construíram até o momento.

 

Se o seu parceiro passa por dificuldades, adoeceu ou não está conseguindo superar uma mágoa causada pelas brigas, as decisões para resolver devem ser de forma conjugal, “do casal”.

Cada um tem sua identidade, e existe a identidade do casal, portanto, se você tem uma questão fora da relação a resolver, ou seu parceiro, o ideal é que sejam pelo menos colaborativo com o outro, se disponibilizando em ajudar ou na contribuição de ideias ou soluções, que o outro pode não estar conseguindo resolver sozinho.

 

Os Homens normalmente têm um processo mental mais racional, tentam resolver tudo da forma mais rápida possível, para que aquilo termine. A mulher pode reagir de forma emotiva, guardar mais coisas e ter mais dificuldade em se reestabelecer emocionalmente diante de brigas e desentendimentos, isso não é uma regra, pois existem muitos homens mais sentimentais que mulheres. O importante é saber respeitar a forma que o outro “pensa”, não tentar mudar de forma agressiva ou fugitiva das questões, seu parceiro tem sua história e cada um interpreta a vida de forma diferente, tente compreendê-lo.

 

A comunicação ainda é o maior segredo dos relacionamentos que dão certo, tudo deve ser conversado, saber o que desagrada seu parceiro e ver se isso pode ser mudado ou se está em modo “ birra” de não querer mudar, resolver ou de jogar toda a responsabilidade ao outro.

 

Compreenda, se você tem uma mágoa que veio de alguma discussão, tente superar com o autoconhecimento, conversando, realizando terapia, mas não use o outro como válvula de escape em atingir por coisas que já aconteceram. Você não pode mudar o passado, então tente aceita-lo e modificar o presente.

Sempre existirá soluções, basta saber, se os dois estão dispostos a se ajudar e a compreender que quando um tem um problema, a questão é dos dois!

 

Vocês já tentaram todas as possibilidades para se dar bem com o seu amado?

 

 

Cleunice Paez - Psicóloga CRP 06/103445

Especialista em Terapia Cognitiva Comportamental 

Especialista em Psicologia Jurídica.

Contato (011) 970172525

Email: paez.psicologa@gmail.com